pic

Soluções para Datacenter

Através de parcerias com os principais fabricantes do mercado oferecemos soluções de infraestrutura de TI dimensionadas adequadamente para garantir desempenho, disponibilidade e segurança aos nossos clientes.

A TED Consulting atua consultivamente junto aos clientes desde a fase inicial dos projetos até a entrega das soluções.  Nossos profissionais e parceiros estão preparados para entregar soluções de hardware, software e serviços totalmente dimensionadas e alinhadas as necessidade e expectativas dos clientes.

Saiba mais sobre nossas parcerias e soluções

Servidores

Os servidores desempenham um papel chave dentro da infraestrutura de TI. Seja em estruturas enxutas, departamentais ou datacenters, em empresas de todos os portes, os servidores respondem por boa parte do “trabalho pesado” do processamento de informações. Podem realizar funções e cargas de trabalho que vão além do processamento e transmissão de dados.  Isto oferece uma enorme flexibilidade às necessidades e objetivos das organizações.

Cada necessidade, cada cenário apresenta desafios diferentes. A TED Consulting possui uma equipe de profissionais qualificados para atuar desde a fase inicial do projeto – dimensionamento das necessidades e configurações – até a entrega e instalação dos equipamentos. Comprometidos em garantir desempenho, disponibilidade e segurança aos nossos clientes, possuímos parcerias com os principais fabricantes de servidores do mercado.

Nosso compromisso é a entrega de soluções customizadas, personalizadas, adequadas ao porte, capacidade e objetivos de cada cliente.

NOSSOS PARCEIROS

Armazenamento

O armazenamento de dados tornou-se vital nas organizações, independente dos seu porte.  Elas dependem fundamentalmente do armazenamento adequado de seus dados para manterem seus negócios ativos.  A grande geração de dados e a existência de ferramentas capazes de transformar esses dados em informações, coloca o armazenamento como algo desafiador.

Houve um tempo em que se acreditava que armazenamento de dados era algo simples, e o fato de a empresa possuir um storage resolveria a questão. Hoje é preciso ter alguns cuidados, planejamento adequado, processos e alinhamento estratégico com os objetivos do negócio da empresa.

Existem diversas tecnologias e dispositivos que permitem uma enorme flexibilidade para as organizações. Os dados podem ser armazenados em arquivos, blocos ou objetos e existem soluções que suportam mais de um tipo de armazenamento.

Nos propomos a ajudar as organizações a customizar adequadamente a solução em armazenamento que melhor se adequa a sua realidade, necessidade, porte e capacidade de investimento.

Soluções de Armazenamento

  • SDS – Armazenamento/Storage Definido por Software

    Trata-se de uma arquitetura de implementação que “desmembra” o software de armazenamento de seu hardware.  Ao contrário das arquiteturas tradicionais onde hardware e software são proprietários e dependentes entre si, neste modelo de arquitetura elimina-se a dependência entre software e hardware proprietário.

    Ao implementar essa arquitetura e desvincular o software de armazenamento de algum hardware proprietário flexibiliza ao cliente crescer conforme sua necessidade e prover seus “up-grades” sem depender exclusivamente de uma mesma marca/fabricante. Esse cenário – em termos práticos – faz com que seja um ambiente mais flexível e escalável e, na maioria dos casos, seja mais econômico.

  • DAS – Direct Attached Storage

    Nesta arquitetura o Storage é diretamente conectado a um servidor/computador porém não é acessível por outros dispositivos através da rede. Na prática é um armazenamento simples disponível localmente para um usuário. Muito utilizado em situações onde o usuário desenvolve trabalhos com grande necessidade de área de armazenamento porém não há necessidade de compartilhar/disponibilizar arquivos. Os DAS aumentam a capacidade de armazenamento local, otimizam a performance/SLA em algumas aplicações corporativas, são usados para fazerem backups específicos e muito utilizados em projetos para implantação de CFTV.

    No passado o Storage DAS foi frequentemente criticado e tido como uma maneira ineficiente de gerenciar o armazenamento corporativo pelo fato de não poder ser diretamente compartilhado em rede. No entanto, com o entendimento que cada empresa – e mesmo cada usuário e/ou aplicação de negócio – possui suas particularidades a utilização de DAS vem crescendo significativamente há algum tempo.

  • NAS – Network Attached Storage

    Nesta arquitetura o Storage é conectado/disponibilizado na rede corporativa da empresa possibilitando o armazenamento centralizado de arquivos  para usuários autorizados. Com Storage NAS é possível compartilhar e gerenciar os arquivos armazenados com segurança. A conexão se dará via rede e para acessar os dados o usuário deverá se conectar a rede corporativa da empresa conforme as políticas de segurança de cada organização.

    Com o enorme crescimento no volume de dados nas organizações há diversas soluções de NAS que irão se adequar a cada realidade.  A maneira como crescer uma solução – scale-up ou scale-out – faz com que seja necessário uma profunda análise do cenário atual da organização e, principalmente, um alinhamento estratégico com o negócio e as previsões de crescimento do mesmo.  

    A utilização do NAS  – tanto a arquitetura tradicional (Scale-up) quando a arquitura Scale-out estão crescendo de maneira relevante.  O NAS tradicional possui sua relevância em ambientes virtualizados enquanto, o NAS Scale-out têm seu crescimento mais relevante em grandes ambientes de Cloud (públicas ou privadas) e com necessidade de disponibilização de grandes arquivos e/ou grandes volumes de arquivos acessados e distribuídos.

  • SAN – Storage Area Network

    É uma arquitetura baseada em uma rede de armazenamento dedicada composta por servidores e unidades de armazenamento (Storages).  Nesta infraestrura os equipamentos – Storages e servidores – estão conectados através de conexões ICSI ou Fibre Channel. A SAN simplifica e consolida a produção e armazenamento de dados, centraliza o gerenciamento de dados/informações otimizando políticas de segurança além de proporcionar melhor nível de SLA no acesso e entrega de dados.

    O dimensionamento adequado de uma SNA envolve um série de fatores tais como os objetivos de capacidade, desempenho, segurança, disponibilidade e contingência.  Não se pode deixar de lado o porte e capacidade de investimento para o projeto. A

  • Unified Storages

    São equipamentos recomendados/utilizados em organizações um amplo leque de servidores, sistemas de arquivos compartilhados, virtualização e aplicativos diversos.  A arquitetura de armazenamento unificado subsitui servidores de arquivos e consolida a base de dados e servidores virtuais em uma única plataforma.

    Neste caso teremos na mesma plataforma – de maneira unificada – equipamento para suportar tanto serviços de armazenamento baseado em arquivos quanto em blocos. Este equipamento utilizam  os diversos protocolos existentes> CIFS, NFS, FC e iSCI permitindo assim que os usuários acessem os dados consolidados em um único dispositivo.

    Um das  principais vantagens para a adoção de Storages Unified é a simplificação do gerenciamento.  Adminsitrar diversos equipamentos com diversos tipos de conexão e protocolos é complexo além de ser tornar – via de regra – mais oneroso para as organizações, devido, principalmente as taxas de utilização de áreas de armazenamento totais (de cada dispositivo) muito baixas.  O storage unified proporciona uma boa possibilidade ed consolidação das SAN existentes nas organizações.

Backup e Continuidade de Negócios

Sem dúvida podemos afirmar que este ponto na infraestrutura do datacenter é motivo de preocupação pela maior parte dos gestores de TI. De um modo geral as áreas de TI se colocam, tentam se adequar, aos modelos de soluções de backup padronizados pelos mais diversos fabricantes. Entendemos que com o amplo leque de ofertas disponíveis no mercado não cabe às empresas – e suas áreas de TI –  se enquadrarem, limitarem suas necessidades de backup, recuperação de dados e continuidade de negócios aos modelos tradicionais que prevaleceram por muito tempo.

Cada empresa possui necessidades específicas e que devem nortear as decisões de aquisições para soluções de backup.  As variáveis são muitas e o entendimento adequados dos conceitos são fundamentais para definição pela melhor arquitetura.  Entender o que é backup, archiving, continuidade de negócios e como cada um deles se aplica ao cenário da empresa é fundamental, bem como a determinação dos requisitos e objetivos de RTO (Objetivo de \tempo de Recuperação) e RPO (Objetivo de Ponto de Recuperação).

Pensar uma política consistente de continuidade de negócios e recuperação de desastres passa, com certeza, por definição de premissas sobre quanto tempo a empresa precisa/tolera até que todos os sistemas estejam disponíveis aos usuários (RTO) e também qual a tolerância máxima de tempo para suportar perdas de dados (RPO).

Com esses pilares e a compreensão do porte de empresa, sua maturidade de TI e capacidade de investimento é possível apresentar a solução que melhor se adeque ao cenário.

Virtualização & Cloud Computing

A virtualização da infraestrutura de TI e a computação em nuvem são realidade nas empresas.  Independente do porte ou setor de atuação das empresas é algo que já está consolidado variando apenas em função do nível de maturidade da TI em cada organização.  Os benefícios são reconhecidos e a discussão nas organizações – na enorme maioria dos casos – vai no sentido de como aprofundar e potencializar os recursos de virtualização.

A utilização de virtualização de infraestrutura e computação em nuvem permitem enormes benefícios de escalabilidade, disponibilidade, autoatendimento, customizações, controles etc.  Contudo é fundamental – ao estabelecer a jornada em nuvem – compreender a cultura da empresa, seus processos e necessidade de maior ou menor controle por parte organização.

Top
WhatsApp Converse com um especialista